6 de abril de 2017

Resenha: Fronteiras - Sonia Rodrigues

Livro: Fronteiras
Autor: Sonia Rodrigues
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 299
Compre: Amazon

Sinopse: Letícia acompanha a mãe e o irmão na fuga para o Rio de Janeiro, depois de sofrerem, por muito tempo, os mais diversos abusos do padastro. No Rio, recomeçariam uma vida nova. Tudo piora quando a mãe com medo de ser encontrada, resolve "viver o sonho americano" e deixa os filhos sozinhos até que reunisse dinheiro suficiente para tirá-los do Brasil. 
A primogênita assume, então, a responsabilidade de cuidar do irmão e de si mesma, de fingir para todos que eles dois não estão vivendo sozinhos e, principalmente, de viabilizar a aventura proposta pela mãe e os sonhos acalentados pelo irmão. 
Nessa jornada, acaba cruzando fronteiras em suas relações de afeto e desafeto, e outros limites perante a lei, e precisa lidar sozinha com as consequências de suas escolhas e de seus atos. A única ajuda vem de fontes inesperadas: um menino Sem Nome - amigo imaginário ou alucinação, não se sabe - e um ex-PM, que também viveu no abandono e resolveu a situação a tiros. 
Muitas fronteiras. O limite entre dois espaços, duas possibilidades: o supostamente certo e o presumivelmente errado; os traumas e os sonhos; os medos e os arroubos de coragem, abuso, injustiça, violência sexual. Os precalços são inúmeros, os dramas são implacáveis e não há caminho de volta. Apenas uma outra via a ser trilhada: a ficção. É sua única saída para reequilibrar lembranças boas e ruins, misturado na medida certa e o lado escuro da vida com o seu brilho. 
Real e imaginário, passado e presente, hoje e amanhã. Todas essas fronteiras se entrelaçam no novo romance da premiada escritora e roteirista Sonia Rodrigues.




"Às vezes, Letícia ficava com tanto medo de serem pegos que criava toda a situação desesperadora dentro da cabeça só para imaginar uma saída de última hora que evitasse que ela e Thomas fossem separados ou que ela fosse devolvido para o pai. Era bom sonhar de olhos abertos com uma catástrofe porque quando o filmezinho dentro da sua cabeça terminava, era sol, era Rio de Janeiro, e todas aquelas coisas ruins não tinham acontecido. Tudo estava normal, ela tomando conta do irmão num apartamento de dois quartos no Catete, e a mão dividindo um conjugado com uma desconhecida em Los Angeles."

Eu fiquei um pouco empolgada com a sinopse desse livro e com a ideia dele, mas no decorrer da narrativa achei cansativa e meio perdida. A autora deu muito foco na história e parece que não sabia como desenvolver a trama que ela criou, tentou colocar elementos demais na história e acabou se perdendo na trama e no que realmente deveria focar. 

O início da história é confuso, a narrativa é cansativa e não dá vontade para continuar com a leitura. Sonia Rodrigues não conseguiu trazer uma história boa, com narrativa para prender o leitor. O desenvolver da história também é meio confuso, e a autora deixa pontos abertos - parecendo que tem a intenção de trazer um próximo livro e responder essas perguntas. 

O final também é esquisito, não curti o que a autora fez e nada neste livro me fez ficar presa a história. Levei quase 1 mês enrolando com este livro e só terminei mesmo pois tinha um prazo a cumprir com a resenha, se não fosse isso, acho que deixaria este livro de lado na estante - pois ele não prende em nada e não faz você ficar curioso com o final. 

A capa e a diagramação são bonitos e chamativos, o trabalho gráfico feito no livro foi muito bom. O tom de vermelho na capa é bem chamativo e ficou muito bonito, chamando a atenção do leitor para o livro e fazendo-o ficar curioso com a história. 

Fiquei um pouco decepcionada com a história e o desenrolar dela. Mas agradeço a editora Nova Fronteira por ter cedido o livro no encontro de blogueiros da Aliança. 


5 de abril de 2017

Resenha: Six of Crows - Leigh Bardugo

Livro: Six of Crows - Sangue e Mentiras
Autor: Leigh Bardugo
Editora: Gutenberg
Páginas: 375
Compre: Amazon

Sinopse: A oeste de Ravka, onde Grishas são escravizados e envolvidos em jogos de contrabandistas e mercadores...
... fica Ketterdam, capital de Kerch, um lugar agitado onde tudo pode ser conseguido pelo preço certo. Nas ruas e nos becos que fervilham de traições, mercadorias ilegais e assuntos entre gangues, ninguém é melhor negociador que Kaz Bekker, a trapaça em pessoa e o dono do Clube do Corvo. 
Por isso, Kaz é contratado para liderar um assalto improvável e evitar que uma terrível droga caia em mãos erradas, o que poderia instaurar um caos devastador. Apenas dois desfechos são possíveis para esse roubo: uma morte dolorosa ou uma fortuna muito maior que todos os seus sonhos de riqueza. 
Apostando a própria vida, o dono do Clube do Corvo monta a sua equipe de elite para a missão: a espiã conhecida como Espectro; um fugitivo perito em explosivos e com um misterioso passado de privilégios; um atirador viciado em jogos de azar; uma grisha sangradora que está muito longe de casa; e um prisioneiro que quer se vingar do amor de sua vida.
O destino do mundo está nas mãos de seis fora da lei - isso se eles sobreviverem uns aos outros. 



Ladrão
Sangradora.
Espiã.
Atirador.
Fugitivo.
Prisioneiro.

Quando eu li a sinopse do livro o final me lembrou muito Esquadrão Suicida e quando eu lia o livro via que realmente tem partes que se combinam. Os vilões precisam se juntar para salvar o mundo, mas antes disso precisam deixar as diferenças de lado e se concentrarem no objetivo maior - para que todo o mundo sobreviva e eles possam continuar com suas vidas loucas. 

Deixando as comparações com o filme de lado, a escrita de Leigh Bardugo é maravilhosa! Esse foi o primeiro livro que li dela e fiquei apaixonada pelo modo em que ela descreve as cenas, os elementos em que coloca em cada personagem e nos arredores, o jeito que ela conquista o leitor com a narração - é tudo incrível! Não tenho nenhum comentário ruim a respeito da narrativa. 

"Bardugo se superou com este livro, criando o belíssimo pano de fundo que é Ketterdam e o preenchendo com um sofisticado elenco de criminosos e trapaceiros. Six of Crows é uma astuciosa obra de arte elegante trabalhada que me empolgou do início ao fim." 
Holly Black, autora da série As Crônicas de Spiderwick

A diagramação da editora está linda. As páginas possuem lindos detalhes, há um mapa mostrando o local, há detalhe no início dos capítulos, há um mini dicionário com as informações, as folhas são amarelas e bem grossinhas, o livro possui abas e ainda ganhei o marcador junto <3 A felicidade da leitora aqui está no nível máximo! 

Os personagens são muito bem construídos e muito divertidos, misteriosos, e com muita carga emocional. Apesar do livro ser narrado em terceira pessoa, eu amei demais todo ele, Leigh sabe muito bem como conquistar e prender os leitores do início ao fim do livro. Você fica tão preso com a narrativa e com a história que se sente ali com os personagens, como se estivesse vivendo aquilo junto com eles. 

O desenvolver da história é muito bom, o mundo que ela criou é tão surpreendente, misteriosa e dramática. O final é maravilhoso. E mal posso esperar para ler outros livros dela e poder viver essas sensações e experiências todas novamente. 

Six of Crows está na lista dos meus livros favoritos do ano e Leigh Bardugo entrou para a lista de autoras favoritas. 

Muito obrigada mesmo à editora Gutenberg pelo livro e a Aliança de Blogueiros também. 

4 de abril de 2017

Resenha: A Sétima Cela - Kerry Drewery

Livro: A Sétima Cela
Autor: Kerry Drewery
Editora: Astral Cultural 
Páginas: 316                                                       Compre: Amazon Saraiva 

Sinopse: Martha Heneydew é a primeira adolescente a ser presa e condenada no novo sistema de justiça da Inglaterra. A polícia a encontrou ao lado do corpo de Jackson Paige, filantropo, milionário e uma das celebridades mais queridas do país. Nesse novo sistema de justiça, o condenado tem sete dias (cada dia em uma cela diferente) para ter seu destino determinado pelos votos dos telespectadores. Se a audiência do programa de TV Morte é Justiça decidir pela inocência do preso, ele será solto. Caso contrário, será morto na cadeira elétrica. Porém, algumas peças não se encaixam na história que Martha conta para a justiça. Ela se declara culpada, mas há algo por trás da cena do crime que os telespectadores ainda não sabem. Com a ajuda da consultora psicológica, Eve Stanton, de um juiz do antigo sistema jurídico, Cícero, e do seu grande amor, os sete dias que precedem sua execução serão de muita intensidade, sofrimento, descobertas inesperadas e reviravoltas de perder o fôlego. Quem é, de verdade, Jackson Paige? Martha Heneydew é realmente culpada? Será que esse sistema jurídico é justo? Nesta distopia eletrizante, todas essas questões nos fazem refletir sobre o poder do dinheiro que, muitas vezes, prevalece sobre a justiça. E Martha, uma adolescente forte e destemida, mostra sua crença em uma sociedade verdadeiramente justa, na força da amizade e do amor. Mesmo que isso possa significar sua própria vida.



Olá pessoal, hoje vamos conversar sobre esse livro que me despertou emoções extremas e contraditórias acerca da situação atual da vida real versus ao que é narrado aqui, me acompanhe.
Martha é uma adolescente de 17 anos acusada do assassinato de um dos homens mais amado e querido da sociedade londrina. A justiça como conhecemos não conseguiu atingir seu objetivo de prender os culpados e condená-los por isso. Então a solução foi criar um sistema onde a sociedade decide isso.

A Olho por Olho produção tem um reality show onde as pessoas decidem como será a condenação dos presos a partir do momento que eles entram na primeira cela. Eles precisam passar por sete e se lá na frente não conseguirem provar sua inocência serão mortos, como decidido pelas pessoas. Um horror. A Narrativa da autora me fez lembrar alguns comentários cheios de ódio que vemos nas redes sociais, mas sigamos em frente.

Quando Martha é presa, ela sabe dos riscos que corre. Ela decidiu isso porque a única pessoa que pode fazer alguma para ajudá-la tem que se manter distante de toda essa confusão para que ele possa fazer alguma coisa de bom. Afinal ele tem dinheiro e posição social, enquanto ela é órfã e pobre. Alguma semelhança com a sociedade de um modo geral? Não né?

Pois então, na etapa final do Reality quando ela está para receber sua sentença, a verdade dos fatos vem à tona, mas junto com ela todo um episódio traumático para Martha e quem ela ama. Qualquer coisa que se fale sobre isso será um grande spoiler, porque o legal é ficarmos no suspense sem saber de fato o que vai acontecer com os dois melhores personagens do livro.


Uma história diferente e original cheia de personalidade que ainda renderá bons frutos, já estou aguardando o segundo livro.


Resenha feita pela Anastacia Cabo. 

Livro cortesia da Astral Cultural no Encontro de Blogueiros da Aliança. 

3 de abril de 2017

Resenha: A Busca - Sean McDowell e Bob Hostetler

Livro: A Busca
Autor: Sean McDowell e Bob Hostetler
Editora: BV Books
Páginas: 316                                                       Compre: Loja

Sinopse: Um único telefonema lançou a jovem Emma Seeger, de vinte e três anos, em uma longa jornada que se tornou mais perigosa e cheia de consequências do que ela poderia imaginar... ou temer. 
A ligação é da mulher que Emma mais despreza no mundo - sua madrasta. Aquela que havia tirado Daniel dos braços de Emma. Ela o transformou em um Cristão "nascido de novo", casou-se com ele e o arrastou para Israel, onde trabalhavam como missionários - uma função que Emma via como distorcida ou como algo completamente perigoso. 
Emma descobre que seu pai desapareceu em meio à crescente tensão política e violência do momento. Após recentes esforços para tentar encontrá-lo fracassarem, Emma embarca em uma odisseia repleta de aventura, frustração, perigo em companhia improvável - sua madrasta, Katya -, cuja fé causa repulsa em Emma e a intriga. Suas incompatíveis personalidades e convicção podem até mesmo pôr em risco o sucesso do único objetivo que têm em comum: encontrar Daniel e trazê-lo de volta em segurança.



"Todos estão à procura, nem todos encontram."

Para mim, esse foi o melhor livro recebido pela BV Books durante o encontro de blogueiros aqui no Rio, pois tirando a parte religiosa, o livro é puro mistério e suspense. Trazendo diversos elementos que fazem você ficar ligado na narrativa para saber o que está acontecendo e o que está por vir. 

Neste livro temos como ponto central a religião se misturando com suspense. Os capítulos são bem curtos e possuem vários, o que se tornou um pouco desnecessário. Os autores poderiam ter dividido melhor os capítulos e também retirado algumas partes que ficaram repetitivas e cansativas, e que não adicionaram nada a história. 


"Elas se unirão para encontrá-lo antes que seja tarde demais ou os seus maiores medos se tornarão realidade."

Os autores não conseguiram me prender na narrativa, ela ficou cansativa e puxada, demorei bastante para terminá-lo pois a história não me conquistou. A páginas são brancas, o livro não tem abas e ele ia soltando as páginas conforme eu ia lendo. A qualidade não é muito boa. 

Infelizmente não me senti presa ao livro e não curti como ele terminou, poderiam ter menos páginas e também um final que alteraria completamente o sentido da história. Se você gosta desse gênero, vale a pena dar uma chance, para quem não gosta - não valeu a pena. 


Livro cortesia da BV Books no Encontro de Blogueiros da Aliança. 


2 de abril de 2017

Resenha: A Gigantesca Barba do Mal - Stephen Collins

Livro: A Gigantesca Barba do Mal
Autor: Stephen Collins
Editora: Nemo 
Páginas: 240                                                       Compre: Amazon Saraiva 

Sinopse: Na ilha de Aqui tudo é meticulosamente organizado e certinho. As ruas são asseadas, a grama é bem aparada e os homens são rigorosamente barbeados. 
Dave não foge à regra. Tem um emprego que lhe permite pôr em prática todo o seu senso de organização, bem como distrair a mente de pensamentos indesejáveis, e encontra paz numa rotina totalmente ordeira. 
Num dia fatídico, porém, Dave se vê como a raiz de um gigantesco problema: uma barba que irrompe de seus pores e desafia a lógica e a ciência. Logo ela se tornará uma questão de segurança pública e irá abalar as estruturas de Aqui, figurativa e literalmente. Uma fábula arrojada, que faz lembrar Roald Dahl e convida a refletir sobre algumas das questões humanas deste século. 



"Uma fábula inventiva e engraçada, que pode ser apreciada em seus próprios termos e como uma sátira à ignorância, à rotina e à tediosa influência da cultura corporativa e da celebridade." 
James Smart, The Guardian

Assim que abri este livro me deparei com uma coisa que não esperava, é uma história em quadrinhos! Eu não sou fã de histórias em quadrinhos, mas este livro é tão diferente dos outros em termos de diagramação e trabalho gráfico que me encantou e me cativou. Ficou um trabalho incrível e todos os responsáveis estão de parabéns! 

O livro é todo em preto e branco, com desenhos bastante detalhados e alguns tão lindos que você até esquece da história por um momento. Além disso a história e a mensagem que o livro traz é encantadora, que te encantada. Ele é perfeito para crianças e adultos, pois irá trazer uma mensagem à cada um e também uma reflexão que irão levar para a vida. 

Aqui é um lugar tão limpinho, tão organizado e tão tranquilo. E Dave ama, realmente ama desenhar a cidade, ele ama toda a sua organização e toda a sua beleza e tenta transmitir isso para seus desenhos - quando se senta na frente da janela e fica admirando a cidade à noite, enquanto os outros veem televisão; jogam videogame; leem o jornal, Dave se senta e admira a beleza do lugar onde mora todas as noites. 

O problema da rua de Dave é que ninguém quer morar lá, nem mesmo o Dave. Pois ela fica tão perto do mar, e incomoda bastante os moradores, pois o mar dava para , o que deixava os moradores totalmente nervosos. era o caos, era desordem, não era nada organizado. 

Senti que este livro é um pouco das histórias antigas na época das navegações em que todos tinham medo de ir além de onde a vista enxerga no mar, pois era um lugar escuro e que todos morreriam quando passarem. Lá é a mesma coisa, os moradores tem medo do desconhecido e daquilo que passam para eles ser algo ruim. 

"Uma obra de arte plena, que se alça além de qualquer comparação."
Nick Hayes, Literary Review

Stephen trata o medo e as descobertas de uma maneira linda e bela, com uma narração maravilhosa e desenhos que lhe fazem mergulhar ainda mais na história. Amei cada página desse livro e já dei para meu irmão ler e aprender um pouquinho mais sobre as coisas da vida. 

Agradecimentos à editora Nemo e a Aliança de Blogueiros do Rio.