1 de fevereiro de 2016

Entrevista com o autor Danilo Barbosa


11215120_10206422047487476_5900635032187763692_nDanilo Barbosa é escritor, leitor inveterado e autêntico cheirador de livros. Desde cedo apaixonado por literatura, vê em cada aventura lida um recanto conhecido. Começou com contos, crônicas e poesias. Algumas premiadas como Reino Solidão. Seu primeiro romance publicado foi Arma de Vingança, primeiro de forma independente e, após considerável sucesso na plataforma KDP (Kindle Direct Publishing), foi publicado pela Universo dos Livros
Também são dele os contos A Voz e Um Toque de Solidão, disponíveis na plataforma digital. Participou também da antologia Contos de Carnaval: deixando o abadá de lado da Editora Novo Conceito e de O Corvo, um livro colaborativo da Editora Empíreo. Atualmente trabalha em seu terceiro romance.

Arma de Vingança, tem a sua terceira edição lançada pela Universo dos Livros, lançada no fim do ano passado. 
Ana agora está espalhada por diversas livrarias do país e pela casa de centenas de leitores, deixando todos maravilhados com sua história incrível! 

O autor foi indicado no prêmio Melhores de 2015 do blog STE, na categoria "Autor Revelação 2015" por seu trabalho em Arma de Vingança


"Amor somente nos enfraquece. Os relacionamentos nos aprisionam. E eu não iria me submeter áquilo novamente."

Oi Danilo, é um imenso prazer fazer essa entrevista com você. Como estamos quase chegando no Carnaval pode aproveitar esse clima e contar um pouquinho pros leitores da história de "Contos de Carnaval: Deixando o Abadá de lado", que foi publicado em e-book pela Editora Novo Conceito em 2014. 
Foi uma diversão fazer parte dessa antologia. Eu estava na editora, atolado de trabalho (lá, como estou no marketing, deixo o autor de lado) quando o editor, que na época era o Thiago Mlacker, me chamou á sala dele e me disse: quer participar da nossa antologia? 
Eu tinha dois dias para pensar em um conto, colocar ele no papel e entrega-lo... Ainda bem que a história começou a se formar na minha cabeça assim que aceitei o desafio. 

O seu livro, Arma de Vingança é bem forte. Ana é uma mulher sofrida com uma vida bem complicada. Além de passar por relacionamentos horríveis, ainda sofre com violência física e psicológica. Até que ela decide se vingar. Como foi para você trabalhar com isso? É algo que leva para vida: quando as pessoas fazem você sofrer deve se vingar? Foi uma forma de você libertar aquela raiva que tinha dentro do peito? Ou a Ana simplesmente chegou e lhe contou a história dela? 
Ana não tem nada de mim, penso eu... Não sou o vingativo, de desejar o sangue correr. Sou o tipo que se chateia, fica sentimental, magoado e depois esquece a pessoa. Acho que dói menos. Mas a Ana surgiu na época em que estudava (logo ontem) quando ouvi a história de uma pessoa que passou por um trauma com o ex... Naquela hora a ira me dominou e pensei que F&%¨& o cara, sem pestanejar. Nessa hora a Ana surgiu. Talvez a maturidade tenha me afastado desses ideias vingativos. 

As cenas de sexo e sangue são pesadas, não é qualquer um que goste deste tipo de leitura. É algo que você goste? Escrever sobre coisas fortes?
Sexo e sangue não é para qualquer um... Eu o acho extremamente forte e os leitores gostam... Até eu me impressiono. Não acho que, ao escrever algo, penso se terá momentos fortes ou não. Algumas obras são escritas para incomodar, é um fato. Só tentamos colocar aquilo que os personagens nos ditam. 
Stephen King diz que no fundo de nosso subconsciente temos um alçapão, com crocodilos famintos, que sonham com sangue. Resta a nós, em algum momento, alimenta-los. 

Arma de Vingança está em sua terceira edição, a emoção de ter ele em suas mãos é a mesma da primeira vez? Ou é algo totalmente novo a cada vez que segura ele?
Acho que agora é a versão real, hahaha. Nas duas primeiras vezes, publicados independentes, em pequenas quantidades, a versão impressa não atingiu tanto as pessoas. Acho que a Amazon foi o primeiro contato real e, agora, com a Universo dos Livros. Ver o seu livro, através de imagens, pelo Brasil todo, é muito gratificante. 
Acho sem sombra de dúvida, que cada emoção é uma nova emoção... Mas esta última foi demais!

Conte alguma coisa sobre você que quase ninguém saiba. 
Sou visceral, instintivo e preciso de paixão para seguir em frente. Se o clima com uma história acaba em algum momento, eu simplesmente paro de escrever. Quando estou apaixonado, me deixo consumir pela obra. A ponto de ficar chorando muito quando mato um personagem... Outra coisa, vou falando com os meus personagens na rua. Muitos acham que sou doido rs.

Há alguma coisa que lhe inspire a criar histórias, seja música, filmes, até outros livros. Ou o personagem apenas aparece e começa a lhe contar as coisas?
As influências extremas dão um start, anunciam a chegada do personagem. Após isso, eles começam a falar. 

De todos os seus trabalhos qual foi o mais fácil de escrever? E o mais difícil?
A voz, sem dúvida. Fiz em poucas horas e me diverti demais. O mais difícil é o meu segundo livro, que espero lança-lo em breve. Foi um ano e meio de escrita. 

Se você pudesse dar vida a um personagem qual deles seria? E porque?
O Carlos, um dos meus personagens mais sarcásticos e encantadores. Vocês ainda não conhecem muito, hahaha. Mas ele é extremamente envolvente e consegue se distanciar das situações, coisas que gostaria de aprender com ele, sem dúvida. 

Você teria algum conselho para as pessoas que estão pensando em começar a publicar seus trabalhos de forma independente pela Amazon?
Fiquem firmes, tenham paciência, deixem seus textos impecáveis e o divulguem muito. Temos muitos autores por lá, bons e ruins. O importante é ter uma capa e uma sinopse atrativa, que chamem a atenção do público. 
Atraia o seu público com simplicidade e carinho. Eles são os seus maiores críticos e melhores amigos. Trate-os com respeito e tudo dará certo. 

Como foi para você descobrir que publicaria pela Universo dos Livros? Você enviou o original para eles ou foi eles que lhe procuraram? 
Foi uma das melhores experiências da minha vida. Foram eles que me procuraram, por indicação da Rayanna Pereira, uma querida que na época era promotora lá. Eles ouvem demais os pedidos dos leitores, não só os que estão dentro da casa, mas também os blogueiros e parceiros. Lógico que os números da Amazon ajudaram. Receber o convite por eles foi emocionante.

Tem alguma dica para dar as pessoas que sonham em um dia publicar por editoras grandes, como a Universo e a Novo Conceito? 
Para publicar em uma editora grande, destaque-se, seja um diferencial. Amazon e Wattpad chama a atenção do mercado, pois precisam de números para divulgação. Seu comportamento nas redes também é importante. E, muito, muito cuidado com o seu texto. Todos achamos que nossos livros são os melhores do mundo. As novidades... Engano nosso. Não existe história nova, mas sim a forma com que ela é contada. 

Para alguém que nunca leu nada seu, você começaria indicando qual livro para a pessoa começar? 
Começaria indicando os contos, minhas crônicas e depois mergulhar no Arma. Agora, se gosta de emoções fortes, comece com ele. E contemple a escuridão. 

Você prefere escrever livros ou contos? Porque?
Livros, sem dúvida. Dá tempo de trabalhar mais os personagens. Contos eu gosto quando as ideias são mesmo boas, que dá pra construir em pouco tempo. 

Pode contar um pouquinho pra gente dos seus próximos livros?
O segundo livro tem um lugar especial no meu coração. Tem romance, tem drama, tem fantasia, sexo e morte. Fiz a minha versão de um famoso conto de fadas, e amei o resultado. O terceiro, que estou escrevendo, só vou adiantar que vai levar vocês para uma montanha russa alucinante, sem freios. Todos eles tem mulheres fortes, que vão amar. 

Se você estivesse no lugar da Ana, teria coragem de fazer tudo apenas para conseguir sua vingança?

Não sei. Penso que não veria apenas como uma vingança, mas sim uma tentativa de conter o mal antes que ele se espalhasse. Acho que não conheço os meus limites, ainda. 

Você tem 5 palavras para se descrever, quais seriam?
Ansiedade, impulsividade, emoção, desejo e palavras.  

Gostaria de mandar alguma mensagem aos leitores? 
Obrigada a todos pelo carinho. Meus leitores, sou fã de vocês. Não seria nada sem vocês. Blogueiros e galera que me segue, vocês são demais. Só agradeço pelo apoio. leiam, leiam sempre, leiam mais. E vamos incentivar a nossa literatura para termos sempre novas histórias no mercado. 

Obrigada por essa entrevista e estou doida para ler seus próximos trabalhos! Se precisar de betas estamos ai =D Beijos!




Compre os livros do Danilo!


Não esqueçam, dia 11 de março tem lançamento do livro no Rio de Janeiro (saiba mais aqui). E dia 13 de março, o autor participa do evento Tardes Sensuais, também no Rio de Janeiro (saiba mais aqui). 

2 comentários:

Alessandra disse...

Tive o prazer de conhecer o Danilo e ganhar Arma da Vingança no Encontro de Blogueiros que a Universo realizou na Bienal do Rio 2015.
Li o livro em 3 horas, não conseguia parar. A escrita do Danilo é incrível, a construção dos personagens foi perfeita, a história te prende tanto que no final me sentia a própria Ana. Sem dúvida foi um dos melhores livros que li ano passado.
Já estou louca pelos próximos.

Beatriz Soares disse...

A Universo é uma editora maravilhosa e o Danilo um amor de pessoa. Ainda não tive o prazer de pegar autógrafo no livro, mas o farei em breve :)
Concordo com tudo que disse, Danilo Barbosa sabe muito bem como escrever um livro e manter os leitores fixados até a última palavra.